Reconstrução do molhe da Praia da Vitória

Reabilitação

Os maiores core locs do Mundo foram construídos nos Açores, mais precisamente no Porto da Cidade da Praia da Vitória na Ilha Terceira e a CIMPOR participou ativamente na obra fornecendo, por intermédio da sua associada CIMENTAÇOR o cimento para o seu fabrico. São na verdade as peças do seu género de maiores dimensões alguma vez produzidas, cada uma com um volume de 13,3 m3 e uma massa aproximada de 33 toneladas.

O porto da Praia da Vitória é o maior porto da Ilha Terceira e representa uma infraestrutura fundamental para a entrada e saída de matérias-primas e mercadorias nomeadamente aquelas que têm a ver diretamente com a operacionalidade da militar dos EUA situada nas Lajes.

Os danos provocados pelos temporais de 2001 e 2005 obrigaram a reparações de emergência em que interveio como projetista a BAIRD, contratada pelo Governo dos EUA, a SETH como empreiteiro geral e a SOMAGUE-EDIÇOR como fabricantes dos “core-locs”.

Na primeira fase, que decorreu em 2003 foram fabricados 322 elementos, enquanto na segunda, executada entre janeiro e Junho de 2006, o número foi de 285. A totalidade da proteção do molhe foi concluída com o fabrico em 2008 de mais 353 unidades.

Durante a segunda fase da obra houve uma reformulação muito séria do projeto que elevou de 3,5 MPa para 5,0 MPa a tensão de rotura do betão à flexão e obrigou também à introdução de fibras sintéticas.

Na primeira fase da obra foi utilizado o CEM II/B-M (V-L) 32,5 N produzido na moagem de Sines e disponibilizado pela CIMENTAÇOR na Terceira enquanto que na segunda foi usado o CEM II/A-L 42,5 R da fábrica de Alhandra para responder de uma forma mais eficaz ao aumento da exigência mecânica.

Este projeto teve também a colaboração da APEB que, na pessoa do Eng.º Luís Saraiva, estudou a composição do betão e acompanhou de perto a execução destas peças.
 

Esquema



“Core-loc ®” é o nome registado de uma patente do U.S. Army Corps of Engineers (USACE) que designa uma peça de betão utilizada na construção de molhes em portos marítimos. A sua geometria particular permite obter, com uma só camada desses elementos, uma massa volúmica equivalente à obtida com duas camadas de outros elementos (dolos, tetrápodes, antifers etc.) e assim diminuir em cerca de 30% os custos destas obras.


CEM II/A-L 42,5 R

Location

Açores


13.35 m3 / Un

Volume de betão dos core locs


5.300 t.

Quantidade aprox. de cimento empregue nos core locs


Outras obras

Construção Nova

Hospital CUF Tejo

LER MAIS

Reabilitação

Aliados 107

LER MAIS
Santander

Construção Nova

Banco Santander Edifício-Sede

LER MAIS

Engenharia

MAAT

LER MAIS