Argamassas Industriais, a Solução Inteligente - Argamassas Industriais, a Solução Inteligente

Notícias

Argamassas Industriais, a Solução Inteligente

Soluções

Argamassas Industriais, a Solução Inteligente

12 Maio 2022

A gama de argamassas CIMPOR é a solução inteligente que abrange um extenso leque de aplicações – reboco, alvenaria e pavimentos – e que, além da garantia da qualidade da marca CIMPOR, tem dado provas nos inúmeros projetos que já contaram com a sua utilização.

Apesar de serem dos elementos de construção mais comuns, as argamassas são também dos mais desvalorizados. Esta desvalorização é observável a muitos níveis do processo de construção, desde a fase de projeto até à execução no terreno e materializa-se de muitas formas.

Logo ao nível de projeto, é habitual encontrar uma indicação das argamassas a utilizar simplista, baseada ainda em traços e com pouca preocupação com a finalidade específica destas, em cada fase da obra. De facto, mesmo nos casos em que a prescrição defina traços distintos para as principais finalidades das argamassas, a verdade é que muitas destas não identificam o tipo de cimento nem o tipo de areia. A acrescentar aos pontos mencionados anteriormente, não existe uma especificação, regulamentação ou até mesmo orientação que possibilite justificar determinado traço face às características mensuráveis de desempenho que devem ser consideradas para cada tipo de utilização de argamassas.

Já na fase de execução propriamente dita, ou seja, no estaleiro de obra, a seleção, preservação e utilização dos materiais destinados às argamassas, e mesmo a sua própria preparação em obra, tendem a ser assuntos de pouco relevo. É comum que todo o processo de preparação das argamassas seja realizado por equipas menos experientes e sem qualquer acompanhamento da sua aplicação em obra.


ADVENTO DAS ARGAMASSAS INDUSTRIAIS

Naturalmente que a rápida evolução no mercado da construção, com início na segunda metade da década de 1990, levou ao aparecimento de novos problemas e situações, para os quais a abordagem tradicional já não tinha a capacidade de dar resposta. Desde logo, a própria explosão da construção levou que se começassem a procurar soluções que permitissem aumentar a eficiência das obras, face à combinação de mais empreitadas e de prazos de realização mais reduzidos.

Foi neste contexto que, em Portugal, as argamassas industriais começaram a ter uma expressão significativa, nomeadamente com o surgimento de soluções a granel, as quais possibilitaram responder a muitas das ineficiências associadas às argamassas em obra. O facto de virem pré-doseadas elimina o consumo de tempo associado à preparação em obra e liberta a mão de obra que se ocupava dessa tarefa para a execução de outras com maior valor associado.

Por outro lado, o seu armazenamento em silo permite que, para uma mesma área, se consigam ter prontas, a utilizar, uma maior quantidade de argamassas comparativamente à solução tradicional. Adicionalmente, o facto de serem produzidas industrialmente, com todas as vantagens ao nível da constância de produto e da precisão dos doseamentos, permitiu que estas pudessem ser aplicadas, não apenas por aplicação manual mas também por projeção mecânica, método de aplicação de argamassas de reboco com elevadíssima produtividade.

 

FOTO LX LIVING | PROMOTOR - REWARD PROPERTIES | EMPREITEIRO GERAL - ALVES RIBEIRO, S.A.

 

A acrescentar a estas vantagens, pode ainda considerar-se a maior facilidade em manter a limpeza do estaleiro (associado à ausência/diminuição dos montes de areia) e, nos casos em que a obra pode utilizar sistemas de transporte de argamassa por via pneumática, uma significativa diminuição da ocupação dos meios de elevação.

Já neste século, assistimos, nos últimos 15 anos, a uma contração na construção, o que levou a que se voltasse a equacionar retomar os métodos tradicionais de produção de argamassas por razões puramente ligadas a custos. No entanto, dois fatores uniram-se para limitar esse retrocesso: o facto de que é sempre difícil retroceder para métodos menos eficientes e as mudanças na natureza das obras.

Este segundo fator é, em grande medida, a principal causa para a expansão das argamassas industriais, pois apesar da diminuição da dimensão média das obras, a sua natureza também se alterou, nomeadamente face ao crescente peso das obras de renovação e restauro em zonas urbanas, bem como dos seus desafios inerentes, que levaram à necessidade de soluções tecnicamente mais exigentes e à economia do espaço de armazenamento em estaleiro.


SOLUÇÕES CIMPOR

Assim, a CIMPOR tem vindo a desenvolver soluções que vão ao encontro das necessidades do mercado, conseguindo, graças à conjugação de desenvolvimento contínuo e experiência de mais de duas décadas, oferecer um conjunto de soluções adaptadas à evolução verificada na construção.

A gama de argamassas CIMPOR abrange um extenso leque de aplicações – reboco, alvenaria, e pavimentos –, que, para além da garantia de qualidade da marca CIMPOR, tem dado provas nos inúmeros projetos que contaram com a sua utilização, destacando-se, a este propósito, o Hospital CUF Tejo, o Villa Baixa e, mais recentemente, o LX Living.
 

Artigos Relacionados

10_CRP

Destaque


Cimpor patrocina o 10º Congresso Rodoferroviário Português

A CIMPOR vai patrocinar o 10º Congresso Rodoferroviário Português, que se vai realizar em Lisboa, no Laboratório Nacional de Engenharia Civil, de 5 a 7 de julho de 2022.

Subordinado ao tema “A digitalização e a transformação do sistema de transporte”, este evento visa dar destaque a uma ferramenta essencial para o desenvolvimento de um sistema de transportes inteligente. A agenda de trabalhos é constituída por vários temas relacionados com a circulação rodo e ferroviária.

Promovida pelo Centro Rodoferroviário Português, esta edição do Congresso tem como país convidado Angola, bem como a presença de delegados vindos de outros países da CPLP. No seu todo, estima-se a participação de 350 pessoas.

A CIMPOR pretende, desta forma, dar o seu contributo na procura de soluções para um desenvolvimento económico mais eficiente no setor dos transportes. Simultaneamente, este encontro irá proporcionar uma troca de conhecimentos e de experiências, conduzindo ao estabelecimento de sinergias entre todos os participantes.


Clique aqui para aceder a mais informações.

Argamassas Industriais, a Solução Inteligente

Soluções


Argamassas Industriais, a Solução Inteligente

A gama de argamassas CIMPOR é a solução inteligente que abrange um extenso leque de aplicações – reboco, alvenaria e pavimentos – e que, além da garantia da qualidade da marca CIMPOR, tem dado provas nos inúmeros projetos que já contaram com a sua utilização.

Apesar de serem dos elementos de construção mais comuns, as argamassas são também dos mais desvalorizados. Esta desvalorização é observável a muitos níveis do processo de construção, desde a fase de projeto até à execução no terreno e materializa-se de muitas formas.

Logo ao nível de projeto, é habitual encontrar uma indicação das argamassas a utilizar simplista, baseada ainda em traços e com pouca preocupação com a finalidade específica destas, em cada fase da obra. De facto, mesmo nos casos em que a prescrição defina traços distintos para as principais finalidades das argamassas, a verdade é que muitas destas não identificam o tipo de cimento nem o tipo de areia. A acrescentar aos pontos mencionados anteriormente, não existe uma especificação, regulamentação ou até mesmo orientação que possibilite justificar determinado traço face às características mensuráveis de desempenho que devem ser consideradas para cada tipo de utilização de argamassas.

Já na fase de execução propriamente dita, ou seja, no estaleiro de obra, a seleção, preservação e utilização dos materiais destinados às argamassas, e mesmo a sua própria preparação em obra, tendem a ser assuntos de pouco relevo. É comum que todo o processo de preparação das argamassas seja realizado por equipas menos experientes e sem qualquer acompanhamento da sua aplicação em obra.


ADVENTO DAS ARGAMASSAS INDUSTRIAIS

Naturalmente que a rápida evolução no mercado da construção, com início na segunda metade da década de 1990, levou ao aparecimento de novos problemas e situações, para os quais a abordagem tradicional já não tinha a capacidade de dar resposta. Desde logo, a própria explosão da construção levou que se começassem a procurar soluções que permitissem aumentar a eficiência das obras, face à combinação de mais empreitadas e de prazos de realização mais reduzidos.

Foi neste contexto que, em Portugal, as argamassas industriais começaram a ter uma expressão significativa, nomeadamente com o surgimento de soluções a granel, as quais possibilitaram responder a muitas das ineficiências associadas às argamassas em obra. O facto de virem pré-doseadas elimina o consumo de tempo associado à preparação em obra e liberta a mão de obra que se ocupava dessa tarefa para a execução de outras com maior valor associado.

Por outro lado, o seu armazenamento em silo permite que, para uma mesma área, se consigam ter prontas, a utilizar, uma maior quantidade de argamassas comparativamente à solução tradicional. Adicionalmente, o facto de serem produzidas industrialmente, com todas as vantagens ao nível da constância de produto e da precisão dos doseamentos, permitiu que estas pudessem ser aplicadas, não apenas por aplicação manual mas também por projeção mecânica, método de aplicação de argamassas de reboco com elevadíssima produtividade.

 

FOTO LX LIVING | PROMOTOR - REWARD PROPERTIES | EMPREITEIRO GERAL - ALVES RIBEIRO, S.A.

 

A acrescentar a estas vantagens, pode ainda considerar-se a maior facilidade em manter a limpeza do estaleiro (associado à ausência/diminuição dos montes de areia) e, nos casos em que a obra pode utilizar sistemas de transporte de argamassa por via pneumática, uma significativa diminuição da ocupação dos meios de elevação.

Já neste século, assistimos, nos últimos 15 anos, a uma contração na construção, o que levou a que se voltasse a equacionar retomar os métodos tradicionais de produção de argamassas por razões puramente ligadas a custos. No entanto, dois fatores uniram-se para limitar esse retrocesso: o facto de que é sempre difícil retroceder para métodos menos eficientes e as mudanças na natureza das obras.

Este segundo fator é, em grande medida, a principal causa para a expansão das argamassas industriais, pois apesar da diminuição da dimensão média das obras, a sua natureza também se alterou, nomeadamente face ao crescente peso das obras de renovação e restauro em zonas urbanas, bem como dos seus desafios inerentes, que levaram à necessidade de soluções tecnicamente mais exigentes e à economia do espaço de armazenamento em estaleiro.


SOLUÇÕES CIMPOR

Assim, a CIMPOR tem vindo a desenvolver soluções que vão ao encontro das necessidades do mercado, conseguindo, graças à conjugação de desenvolvimento contínuo e experiência de mais de duas décadas, oferecer um conjunto de soluções adaptadas à evolução verificada na construção.

A gama de argamassas CIMPOR abrange um extenso leque de aplicações – reboco, alvenaria, e pavimentos –, que, para além da garantia de qualidade da marca CIMPOR, tem dado provas nos inúmeros projetos que contaram com a sua utilização, destacando-se, a este propósito, o Hospital CUF Tejo, o Villa Baixa e, mais recentemente, o LX Living.
 

516_arouca

Projetos


516 Arouca a maior ponte pedonal suspensa do mundo

Suspensa no céu, em pleno Arouca Geopark, território da UNESCO, nasce a 516 Arouca, ligando a margem de Canelas à de Alvarenga.

A 516 Arouca, é constituída por gradis e cabos de aço, com 516 metros de vão, 1,20 metros de largura e 175 metros de altura acima do rio Paiva. 

O tabuleiro em grelha metálica suportado por dezenas de cabos de aço sustenta-se em dois pilares de betão. Fornecida pela Betão Liz - Esmoriz, empresa do Grupo CIMPOR, esta obra teve como principal betão utilizado o C30/37.S4.XC4(P).D22.Cl0,4 (CPF). A principal dificuldade verificada nos fornecimentos foi o elevado tempo de transporte até ao local, que podia atingir as 2 horas, o que obrigou a utilizar adjuvantes especiais para manter o betão trabalhável durante um período de tempo mais alargado.

A travessia da ponte 516 Arouca é uma experiência incrível, mas há muito mais para usufruir. 

Seja do alto da ponte, ou nos percursos a pé que levam até às suas entradas, há uma natureza envolvente única e, em grande parte, em estado bruto, que prende o olhar.

Nesta área classificada como Rede Natura 2000, os visitantes mais atentos podem observar diversas e magníficas espécies, da grande águia-cobreira à pequena borboleta-do-medronheiro, neste que é também o habitat natural de corços, coelhos-bravos, esquilos-vermelhos, lontras, lobos-ibéricos, águias-d’asa-redonda e não só. 

São centenas de animais, alguns deles em risco de extinção, que encontram aqui um refúgio perfeito. Uma região onde também a flora é vasta e rica ao longo de todas as estações do ano.

Encontra aqui mais informações e vídeo desta icónica obra do Município de Arouca.